Contact Information

Theodore Lowe, Ap #867-859
Sit Rd, Azusa New York

We Are Available 24/ 7. Call Now.

Roteiros inesquecíveis é o que não faltam na Ilha de Boipeba – Bahia, Ba. Caminhadas entre bromélias e orquídeas numa das paisagens mais deslumbrantes de toda a Mata Atlântica; cavalgadas por meio da mata entre o rio e o mar; passeios de barco ou canoa quando o sol se põem, entre as raízes retorcidas dos manguezais.

Pesquisamos algumas das melhores praias da Bahia em busca de cenários dignos de paraíso. Uma das nossas pesquisada é espetacular, a Ilha de Boipeba, onde turistas desfrutam de belos dias de sol e mar. A Ilha de Boipeba está localizada ao sul de Salvador e faz parte da Ilha de Tinharé, cidade de Cairu, onde também está localizada a famosa vila de Morro de São Paulo.

Morro e a Ilha de Boipeba estão em ilhas diferentes, porém, dividem a mesma porção de beleza do litoral da Bahia. Enquanto Morro é mais conhecida pelo agito, a Ilha de Boipeba vem ganhando destaque entre os viajantes que buscam sossego, praias desertas e um destino para relaxar. Se o que você procura é um paraíso cercado de tranquilidade, coqueiros, mar calmo e piscinas naturais, a Ilha de Boipeba é o seu lugar ideal para passar férias na Bahia!

QUAIS SÃO AS PRAIAS DA ILHA DE BOIPEBA?

Boca da Barra é o cartão de visitas, em Velha Boipeba. Marca o ponto onde o Rio do Inferno encontra o mar. A poucos metros, na outra margem, vê-se o coqueiral de Tinharé. Por volta das 4 horas da manhã, passam os primeiros barquinhos, as traineiras a motor.

O que fazer em Boipeba

A Ilha de Boipeba é o típico destino baiano de praia para quem quer dias de sossego e descanso de frente para um mar maravilhoso. Na Ilha de Boipeba não há tantos passeios turísticos e a melhor opção é mesmo ir à praia. Quem está em Boipeba poderá chegar às lindas porções de areia – muitas delas desertas – fazendo caminhadas à beira-mar, por dentro de fazendas de coqueiros, percorrendo manguezais ou em passeios de lancha e barco pela ilha. E, quando estiver nas praias da Ilha de Boipeba, poderá aproveitar para mergulhar nas piscinas naturais que se formam na maré baixa, praticar snorkeling e experimentar alguns dos frutos do mar fresquinhos vendidos nas barquinhas que servem de apoio para os turistas que vão à Bahia.

Opções interessantes também são os passeios de caiaque ou canoa pelos manguezais que cercam grande parte da Ilha de Boipeba. Os passeios são realizados em ricos cenários e diferentes paisagens. Ao cair da tarde, depois dos passeios, não deixe de ver o pôr do sol à beira do Rio do Inferno, na Praia da Boca da Barra. Ao cair da noite, percorra as ruas de Velha Boipeba em busca da deliciosa culinária baiana. Para fechar a noite, se acomode na mesinhas da Praça Santo Antônio experimente um drink de cacau!

Chegar às paradisíacas praias da Ilha de Boipeba pode não estar entre as tarefas mais fáceis a ser realizada por um turista, porém, ao chegar na ilha perceberá que valeu.

COMO CHEGAR A ILHA DE BOIPEBA DE AVIÃO?

Se você está em outro Estado do Brasil e deseja conhecer a Ilha de Boipeba, os aeroportos mais utilizados são os Aeroportos de Valençae o Aeroporto de Salvador, com trajeto por balsa até Itaparica e depois ônibus para Valença, além do Aeroporto de Ilhéus, com percurso por terra até Valença ou Torrinha e depois lancha rápida para Boipeba.

Seja de onde vier, saiba que, na Ilha de Boipeba, não chegam nem transitam carros, sendo os barco e avião os meios de chegar até a Ilha de Boipeba. E quando na Ilha de Boipeba, prepare-se para lindas caminhadas a beira-mar, passeios de lancha e caiaque pelo mangue, além de tratores e quadri-táxi.

A Ilha de Boipeba ainda está sendo descoberta pelos turistas que visitam o litoral da Bahia. E para ajudar na tarefa de desbravar a Praia de Tassimirim, Praia de Moreré, Praia de Bainema, a Ponta dos Castelhanos, entre outras praias da bahia, consulte um Agente de Turismo experiente.

Quais são as Praias da Ilha de Boipeba?

Com mar de água límpida e transparente e praias muitas vezes desertas, a Ilha de Boipeba agrada especialmente aos turistas que buscam um destino sossegado para relaxar e ser feliz na tranquilidade baiana e debaixo de delicioso sol da Bahia. Diferente da vizinha Morro de São Paulo, que atrai turistas pelo agito aliado as praias deslumbrantes, a Ilha de Boipeba é mais indicada para quem deseja praias calmas e com pouco movimento. Na Ilha de Boipeba a pedida é descansar de frente para um mar azul maravilhoso, sem pressa de chegar a nenhum lugar

Praia do Ponta dos Castelhanos

Praia do Ponta dos Castelhanos

 

Praia da Cueira

A melhor pedida da Ilha de Boipeba é passar um dia em cada porção de areia e aquele pedacinho de paraíso como se fosse o último. Em Boipeba há sete praias principais e algumas pequenas prainhas que recebem nomes conhecidos apenas pelos locais. Caminhando pela faixa de areia será fácil ver todas elas. O difícil mesmo é diferenciar uma da outra, por isso, preocupe-se em curtir a sua porção de areia predileta, independente do nome que ela receba.

Praia da Boca da Barra

A faixa de areia que circula o povoado de Velha Boipeba é conhecida como Praia da Boca da Barra. Ela é a mais movimentada da ilha exatamente pela proximidade de grande parte das pousadas e restaurantes de Boipeba. Quem não abre mão de restaurantes e quiosques à beira-mar e não está disposto a fazer longas caminhadas ou se deslocar até outra região da ilha tem a Boca da Barra como a melhor opção em Boipeba.

Praia da Boca da Barra

Praia da Boca da Barra

A Praia da Boca da Barra não está entre as praias da Ilha de Boipeba mais bonitas. O encontro do Rio do Inferno com o mar deixa a água mais escura se comparada a outras praias da ilha, mas o banho é igualmente delicioso. Um bom horário para ir à Praia da Boca da Barra é no pôr do sol, quando o visual fica lindo diante do coqueiro torto que é marca registrada do local. A praia tem mar calmo, é boa para banho e é ponto de partida para os passeios por Boipeba.

A Praia da Boca da Barra tem sofrido com o aumento das marés e os restaurantes e pousadas da área são constantemente atingidos pelo mar. Com isso, muitos colocam sacos de areia de frente aos estabelecimento para barrar a água, o que descaracteriza a paisagem e tira um pouco o charme da praia.

Como chegar à Praia da Boca da Barra:

A Praia da Boca da Barra localiza-se no vilarejo de Velha Boipeba. Uma curta caminhada será suficiente para ir de grande parte das pousadas até lá.

Praia do Tassimirim

O caminho a pé que leva da Praia da Boca da Barra à Praia do Tassimirim reserva belas surpresas aos turistas. O percurso passa pela pequenina Praia do Outeiro e também pela Praia das Pedrinhas, onde há formação de piscinas naturais na maré baixa. O caminho até Tassimirim passa tanto pela mata quanto pela beira-mar. É um lindo passeio que agrada a todos os turistas, já que não exige muito esforço físico e no trajeto há boas opções de restaurantes e quiosques para passar o dia. Entretanto, como o objetivo da trilha é chegar à Praia do Tassimirim, siga adiante!

Ao chegar à Praia do Tassimirim será fácil perceber que a cor da água já é bem mais clara se comparada à vizinha Boca da Barra. É uma praia com pouco movimento, mar calmo e ótima pedida para se afastar do barulho de Velha Boipeba sem ir longe demais. Na maré baixa, a praia fica ainda mais linda com a formação de piscinas naturais entre os corais, o que torna a praia um dos melhores pontos para a prática de snorkeling na ilha.

Praia do Tassimirim

Praia do Tassimirim

Na Praia do Tassimirim, não deixe de almoçar na Barraca Tassimirim, onde o Luciano serve deliciosos pratos típicos com frutos do mar. Se quiser apenas um drink, ande um pouco mais e vá até a Cabana Flor do Caribe, onde barraquinhas de madeira dentro do mar oferecem lindo cenário para fotos. Ao final da Praia do Tassimirim, já à beira da Praia da Cueira, a Cabana da Gleyde agrada aos turistas com saborosas lagostas.

Como chegar à Praia do Tassimirim

A pé, a partir da Praia da Boca da Barra, siga a trilha que leva à Praia do Tassimirim. O caminho passa pela mata e também à beira-mar, mas não exige muito do físico. Em vinte minutos você já estará em Tassimirim. Basta seguir a faixa de areia.

Praia da Cueira

A grande enseada da Praia da Cueira está entre as mais bonitas de Boipeba. Cercado por areia branca e muitos coqueiros, o mar dessa praia é claro e com tons entre azul e verde. A Praia da Cueira é ideal para quem busca infraestrutura e, ao mesmo tempo, deseja uma praia para chamar de sua. Isso porque na praia é bem longa e dá pra aproveitar tanto os restaurantes no início da faixa de areia quanto a praia bem deserta ao final, onde um delicioso rio ainda presenteia os turistas com água doce e refrescante. Ótima pedida para um dia inteiro relaxando. O banho entre o mar e o rio é um presente e um passeio imperdível para quem está em Boipeba.

Praia da Cueira

O restaurante Guido’s atrai dezenas de turistas todos os dias com as lagostas preparadas em diferentes versões, sendo a mais procurada a lagosta na manteiga. O Guido’s é parada quase obrigatória dos passeios que saem de Morro de São Paulo rumo à Ilha de Boipeba, por isso, a depender do horário, várias lanchas estarão ancoradas e o local estará bem cheio. Entretanto, como o restaurante está localizado bem no começo da faixa de areia, basta andar alguns minutos para ter uma praia deserta. E quanto mais longe, melhor.

Como chegar à Praia da Cueira

A trilha que leva à Praia da Cueria é a mesma que segue depois de Tassimirim. Basta continuar pela faixa de areia para chegar à Praia da Cueira. Quem não quiser fazer a caminhada, que tem meia hora de duração a partir de Velha Boipeba, poderá contratar o serviço de lancha até a Praia da Cueria. A partir da Praia do Tassimirim serão apenas cinco minutos até a Praia da Cueira. As duas têm faixa de areia separada apenas por algumas pedras.

Praia de Moreré

A Praia de Moreré é um dos mais lindos e procurados cenários da Ilha de Boipeba. Para chegar até lá será necessário transpor o rio no final da Praia da Cueira e seguir em caminhada por uma fazenda de coqueiral ou pegar um dos tratores e quadritáxis disponíveis para o transporte de turista na Velha Boipeba. Moreré é uma linda praia cercada por coqueiros, mar calmo e, na maré baixa, deliciosas piscinas naturais para banho e prática de snorkeling. Mesmo à beira-mar é possível curtir o mergulho, mas o ideal é mesmo pegar um barco ou lancha para ir até as piscinas naturais mais afastadas.

Praia de Moreré

Praia de Moreré

Boa parte da Praia de Moreré é deserta, mas por lá é possível também aproveitar os quiosques e restaurantes com pé na areia, além da possibilidade de se hospedar em algumas das pousadas do vilarejo de Moreré, mais afastado, tranquilo e rústico que Velha Boipeba. Quando estiver na praia, não deixe de tomar um drink e comer um dos pasteis da Barraca Moreré ou comer um bom prato baiano no Restaurante Paraíso. O final da Praia de Moreré é marcado pelo vilarejo que serve de base para os turistas. Na Vila de Moreré há restaurantes, mercadinho e lojas. Ótimo para passar o dia e também para quem deseja se hospedar fora de Velha Boipeba.

Como chegar à Praia de Moreré

Para quem está caminhando pela areia, a Praia de Moreré está logo depois da Praia da Cueira. Um rio separa as duas praias e o ideal é atravessá-lo na maré baixa. Depois do rio há uma cancela de madeira que dá acesso à fazenda de coqueiros que leva até Moreré. Basta seguir a trilha em meio ao coqueiral para sair em outra cancela de madeira, já à beira do mar de Moreré. Se estiver em Velha Boipeba e não quiser ir caminhando, pegue o trator (R$ 10 por pessoa) ou o quadritáxi até a Praia de Moreré. Para economizar tempo e conhecer outras praias no mesmo dia vale fazer o passeio de lancha chamado de Volta à Ilha, com parada na praia e nas piscinas de Moreré.

Praia do Bainema

Só o acesso à Praia do Bainema, a partir da Vila de Moreré, já seria motivo suficiente para uma visita. Claro que a praia é linda, mas o trajeto em meio ao túnel de flores e às tocas dos guaiamuns (caranguejos) é tão espetacular que rouba a cena do mar. Caminhar entre a Praia de Moreré e a Praia do Bainema é um evento. Difícil não ficar hipnotizado pela natureza que acompanha os visitantes pelos quinze minutos de trilha entre as duas faixas de areia.

Praia do Bainema

Bainema, assim como Moreré, tem mar muito calmo e formação de piscinas naturais na maré baixa. A principal diferença entre as duas é que a Praia do Bainema é bem mais vazia se comparada a Moreré. Excelente para quem não faz questão de infraestrutura e busca uma praia para ficar sozinho em contato com a natureza. Se bater aquela fome ou vontade de tomar uma cerveja, não se preocupe. Procure o quiosque Pontal do Bainema, que salva os turistas que chegam até a praia desprevenidos.

Como chegar à Praia do Bainema

A partir da Praia de Moreré serão 15 minutos de caminhada até a Praia do Bainema pela trilha que começa no final do vilarejo de Moreré (veja como chegar no tópico sobre a Praia de Moreré). A Praia do Bainema também faz parte do roteiro do passeio de Volta à Ilha. Boa solução para quem está com tempo corrido e não quer fazer a caminhada ou o trajeto de trator e quadritáxi.

Praia da Ponta dos Castelhanos

Um dos recantos mais isolados da Ilha de Boipeba é a Ponta dos Castelhanos. A praia, com boa parte deserta, é cercada por mangue e lindos coqueirais. O mar é calmo, com água límpida e em tons que variam entre azul e verde. Na maré baixa, deliciosos bancos de areia são formados em meio ao mar e deixam a paisagem ainda mais paradisíaca. A Ponta dos Castelhanos ganhou esse nome devido ao naufrágio de um navio espanhol que, em boas condições de mar, pode ser visto em um mergulho.
Praia da Ponta dos Castelhanos

Praia da Ponta dos Castelhanos

A Praia da Ponta dos Castelhanos conta ainda com a água doce do Rio Catu, que completa o cenário e faz do lugar um dos mais espetaculares de Boipeba. Chegar à Ponta dos Castelhanos não é tarefa tão simples. Será necessário fazer uma boa caminhada (passando por praias e mangues) ou investir um passeio de lancha ou barco. Ainda que não tenha acesso fácil, vale todo o sacrifício para conhecer essa linda praia. Na alta temporada de verão o cenário da praia muda um pouco e ela pode não ficar tão deserta assim, mas em grande parte do ano a Ponta dos Castelhanos estará bem tranquila.

Para quem vai passar o dia na Ponta dos Castelhanos há algumas barquinhas que oferecem comidas rápidas e bebidas em um dos lados da praia, como a Barraca do Pirata. Outra solução é pegar um barco até a Cova da Onça (vilarejo de São Sebastião) onde há restaurantes deliciosos com frutos do mar bem fresquinhos!


Praia da Ponta dos Castelhanos

Como chegar à Praia da Ponta dos Castelhanos

Para ir à Ponta dos Castelhanos a maneira mais fácil é com um dos passeios de lancha que saem de Velha Boipeba. O mais famoso roteiro é o Volta à Ilha, mas há passeios que vão apenas até a Ponta dos Castelhanos. Outra solução é ir até Moreré (de trator ou quadritáxi) e lá pegar um barco de pescador até a Ponta dos Castelhanos.

Os mais bem dispostos poderão fazer a caminhada de Moreré até a Ponta dos Castelhanos, que passa pela Praia do Bainema, pelo manguezal à beira-mar e ainda atravessa o Rio Catu. No caso da caminhada, é aconselhável contratar um guia local, já que a passagem pelo mangue não é tão bem definida para quem vai pela primeira vez.

Praia da Cova da Onça

A Cova da Onça é a praia que marca o Vilarejo de São Sebastião, na ponta sul da Ilha de Boipeba. O local é parada para almoço dos barcos e lanchas que fazem o passeio de Volta à Ilha. São Sebastião não é famoso pela beleza da praia, mas sim por ter os frutos do mar mais frescos de Boipeba. E a fartura de frutos do mar se reflete diretamente na qualidade da comida. As moquecas e outros quitutes baianos servidos nos restaurantes à beira-mar são memoráveis. Os pratos são deliciosos, bem servidos, caprichados no tempero e com excelente preço! Os estabelecimentos são simples e comandados pelas famílias dos pescadores. A praia pode não ser das mais bonitas, mas certamente a culinária está entre as melhores da Ilha de Boipeba.
Praia da Cova da Onça

Como chegar à Praia da Cova da Onça: A maneira mais fácil de ir até a Cova da Onça é com o passeio de lancha no circuito Volta à Ilha ou de barco saindo de Velha Boipeba e Moreré. Vale também ir por dentro da ilha, na estrada que sai de Velha Boipeba, com um quadritáxi ou mesmo caminhando a partir de Moreré em um trajeto de 9 km.

Praia da Cova da Onça

Passeios em Boipeba

Quem está em Boipeba e deseja ir um pouco além das caminhadas pelas praias poderá investir em alguns passeios pela região. O principal tour oferecido em Boipeba, e que atrai grande parte dos turistas, é o Volta à Ilha. O passeio, realizado em lancha, parte da Praia da Boca da Barra e faz paradas nas piscinas naturais de Moreré e também na Ponta dos Castelhanos. A parada para almoço acontece na Cova da Onça, onde deliciosos restaurantes com frutos do mar fresquinhos esperam pelos turistas.

A lancha passa ainda pelos manguezais do Rio do Inferno e faz uma parada rápida para degustação de ostras no Povoado de Canavieiras. O retorno, ao final da tarde, rende um belo entardecer. O custo do passeio de Volta à Ilha é R$ 100 por pessoa e dura o dia inteiro. Várias agências em Velha Boipeba oferecem a rota.

Piscinas naturais de Moreré

De lancha e barco também é possível fazer passeios que incluam apenas as piscinas naturais de Moreré ou a Ponta dos Castelhanos. Nos dois casos é possível fazer o tour com saída da Boca da Barra ou, com custo mais baixo, do Vilarejo de Moreré. Para quem parte de Moreré o esquema é negociar diretamente com os pescadores apenas o valor para levar e buscar. Será mais barato que o passeio completo. Para ir à Ponta dos Castelhanos há também a opção de fazer o tour guiado a pé, passando pelas praias de Moreré e Bainema, além do manguezal à beira-mar. Para a trilha é possível contratar as agências ou guias particulares em Velha Boipeba.

Praia da Ponta dos Castelhanos

Se o tempo fechar em Boipeba ou a vontade for de dar um tempo da praia, experimente o passeio de caiaque ou SUP pelo manguezal do Rio do Inferno. Quem realiza o passeio é a oceanógrafa Marta Smith, da Ecoturismo Marinho, que além de ser uma simpatia (e ter a companhia do encantador cão Tubarão) enriquece muito o tour com informações sobre o meio ambiente da região. O tour, com 2h de duração, tem custo de R$ 80. Para o passeio pelo manguezal, outra opção é contratar uma das canoas disponíveis na Boca da Barra para subir o rio e apreciar o visual. Quem preferir fazer o passeio por conta própria poderá alugar uma prancha de stand up ou um caiaque.

A Ecoturismo Marinho também oferece um passeio de mergulho com snorkeling pelas piscinas naturais de Tassimirim, menos visitadas que as de Moreré, porém com mais vida marinha. É um passeio menos comum, porém bem mais rico, já que a ocenanógrafa dá uma aula sobre a vida marinha em Boipeba. O tour tem custo de R$ 90 por pessoa.

Piscinas naturais de Moreré

Entre os meses de julho e novembro os turistas que visitam Boipeba poderão investir em passeios para observação de baleias jubarte. Ela tomam conta do litoral da Bahia e de diversos pontos podem ser observadas. Não é garantia vê-las, mesmo na alta temporada de baleia. Ao chegar à ilha, consulte os moradores para saber como está a frequência de baleias para não fazer uma viagem perdida.
Onde comer em Boipeba

A culinária de Boipeba segue a linha do delicioso tempero baiano e oferece boa variedade de pratos típicos da região. Ainda que moquecas, lagostas e camarões estejam entre os pontos fortes da ilha, em Boipeba é possível experimentar outras especialidades comuns aos paladares brasileiros. A maior concentração de restaurantes está em Velha Boipeba. O vilarejo, onde grande parte dos turistas se hospeda, é o principal polo culinário de Boipeba. Além de Velha Boipeba, há diversas opções de restaurantes nas praias da ilha. Mesmo nas mais desertas é possível encontrar pequenos quiosques com venda de bebidas e petiscos rápidos, mas há alguns restaurantes que valem a caminhada pelo bom tempero.
Noite de Velha Boipeba

Quem está hospedado em Velha Boipeba não terá dificuldades para encontrar um bom restaurante para as refeições, principalmente à noite, quando todos abrem as portas para receber os turistas depois de um dia de passeio. Para o melhor do tempero baiano e com precinho bem camarada, vá ao Acarajé da Danny e ao Panela de Barro, onde uma moqueca caprichada sai por menos de R$ 50 para duas pessoas. Se a vontade for por pratos mais elaborados, dê um pulo no Flor da Lua ou no Santa Clara(dentro da pousada de mesmo nome).

Para um intervalo na comida baiana, experimente os italianos Pizzetta e Varanda Cantina e Restaurante; os suculentos hambúrgueres do Lambe-Lambe, que vêm acompanhados de excelente trilha sonora; ou os crepes da Casa Namoa. Se bater aquela vontade de um PF delicioso e baratinho – com arroz, feijão, carne ou peixe e batata frita – sente-se à mesa no Jorge Som. E, para curtir a noite tranquila de Boipeba e fazer um lanchinho rápido, não deixe de ir até a feirinha de comidas da Praça Santo Antônio. Ótima pedida para tapiocas, petiscos, bebidas e o tradicional drink de cacau com biri-biri.
Moqueca de camarão do Estrela do Mar

Durante os dias de passeio pelas praias será possível experimentar alguns delicioso restaurantes à beira-mar e tomar drinks geladinhos e com frutas da região em alguns quiosques de praias quase desertas. Entre as melhores opções com pé na areia está a Barraca Tassimirim, que serve o famoso bobó de camarão do Luciano na Praia do Tassimirim. Um pouco mais afastado e parada quase obrigatória de quem faz o passeio de Volta à Ilha, o Estrela do Mar – na Toca da Onça – oferece uma das melhores e mais bem servidas moquecas da região. E, o melhor de tudo, com excelente preço!
Barraca Tassimirim

Já na Praia da Cueira quem atrai grande público é o Guido’s, que serve lagostas de todos os tipos para os turistas de Boipeba e também os que chegam em passeio de Morro de São Paulo. À beira do mar da Praia de Moreré, o Restaurante Paraíso e o Sabor da Terra servem diferentes moquecas, entre elas a de polvo com banana. Já na Barraca Moreré as especialidades são os drinks e pasteis de siri, aratu e lagosta.
Lagostas no Guido’s

Vale dizer que nem sempre os quiosques e restaurantes à beira-mar estão funcionando, por isso é fundamental perguntar aos moradores se os quiosques estão abertos. Na dúvida, leve sempre um lanche na mochila quando sair para fazer passeios de caminhada pela praia. Se a fome bater e não tiver nada para comer à vista, ande até o vilarejo ou pousada mais próxima que é certo encontrar opções para matar a fome. É importante também ter sempre dinheiro para gastos com refeição. Muitos restaurantes e quase todos os quiosques não aceitam cartão. E como em Boipeba não há caixas eletrônicos, é bom estar sempre prevenido.

Quando ir à Ilha de Boipeba

Boipeba é destino ideal para viajar em qualquer estação do ano. Na ilha, a temperatura é amena e o sol sempre aparece, mesmo nos períodos de maior incidência de chuva. Será muito difícil passar alguns dias de férias em Boipeba sem ver o sol. Com clima tropical úmido, é comum ver pancadas de chuva ao longo de todo o ano, mas logo o céu abre e o azul volta a reinar. A temperatura média anual em Boipeba é na casa de 25°C, sendo que a mínima não costuma ficar abaixo de 21°C e a máxima não ultrapassa 30°C. Clima perfeito para curtir dias de praia sem passar calor ou frio demais.

Durante o verão, especialmente entre os meses de dezembro e fevereiro, os dias são sempre ensolarados e há menor incidência de chuva. A temperatura fica entre 23°C e 29°C e o período é ideal para quem deseja calor e clima mais agitado, já que o verão coincide também com a alta temporada e o aumento de turistas. O verão é a estação que a Ilha de Boipeba fica mais cheia, por isso é importante se programar e reservar a hospedagem com antecedência para não ficar sem ter onde dormir ou pagar preços muito altos por um quarto.

A alta temporada em Boipeba vai até a semana seguinte ao carnaval, quando muitos turistas relaxam e curtem a ressaca de Salvador nas praias da Bahia. A partir de março, as chuvas têm leve aumento e a temperatura cai um pouco, mas os dias continuam bonitos. Os meses mais chuvosos são abril, maio, junho a julho. No auge do inverno, no mês de julho, os termômetros chegam à mínima de 21°C. Já a máxima fica por volta de 25°C. A vantagem é que Boipeba estará mais vazia e as hospedagens um pouco mais baratas entre os meses de março e junho. Em julho e agosto o cenário muda um pouco com as férias escolares do Brasil e as férias de verão no hemisfério norte, que atrai muitos turistas europeus para Boipeba.

A partir de agosto, as chuvas entram em queda e a temperatura volta a subir. Os meses de setembro, outubro e novembro são ótimas pedidas para visitar Boipeba, já que a ilha está em baixa temporada (com preços mais baixos e poucos turistas) e o clima estará perfeito! Se quiser ver Boipeba com pouca gente e muito sol, esses são os melhores meses.

Vale destacar que, assim como outros destinos turísticos nacionais, em todos os feriados prolongados há aumento do número de turistas e das tarifas de hospedagem. Se a agenda permitir, evite datas que coincidam com grandes feriados. É importante também dizer que a Ilha de Boipeba tem fluxo de turistas bem menor que a vizinha Morro de São Paulo. Se estiver a caminho de Morro e encontrar as praias muito cheias, dê um pulo em Boipeba!

*Com dados do Climatempo.
Praia da Ponta dos Castelhanos
Como chegar a Boipeba

Chegar à Ilha de Boipeba não está entre as tarefas mais simples, mas vale todo o esforço para curtir esse paraíso. Boipeba está localizada no litoral baiano, ao sul de Salvador, e faz parte do Arquipélago de Tinharé (município de Cairu), de onde também faz parte Morro de São Paulo (localizada na Ilha de Tinharé).

Não existe acesso exclusivo por via terrestre à Ilha de Boipeba, por isso será obrigatório fazer ao menos um trecho por via marítima ou aérea. As lanchas e barcos que chegam a Boipeba partem da cidade de Valença (122 km de Salvador, 127 km de Itacaré e 187 km de Ilhéus), do vilarejo de Torrinha (170 km de Salvador, 118 km de Itacaré e 179 km de Ilheus), do vilarejo da Graciosa (13 km de Valença, 113 km de Itacaré e 174 km de Ilhéus) ou de Morro de São Paulo. Já o táxi aéreo que faz a rota até Boipeba parte de Salvador.

Para quem viaja a partir de outros estados, os melhores aeroportos para começar o percurso até Boipeba são o Aeroporto de Valença (com voo da Azul às quartas-feiras direto de Confins e possibilidade de voos extras na alta temporada), o Aeroporto de Salvador e o Aeroporto de Ilhéus.
Praia da Cueira

Como chegar à Ilha de Boipeba saindo de Morro de São Paulo em lancha ou 4×4

É comum entre os turistas que estão em Morro de São Paulo uma visita a Boipeba. Muitos optam pelo passeio de bate e volta, que sai de Morro de lancha e visita algumas praias e piscinas naturais de Boipeba. Esse passeio tem duração de 8h. Caso queira ficar em Boipeba para alguns dias de estadia, essa é uma boa opção para economizar no tempo de trajeto e ainda fazer um belo passeio. Negocie com a agência de turismo a permanência em Boipeba ao invés de retornar para Morro. Essa é a maneira mais prática de se locomover entre Morro de São Paulo e Boipeba. O custo do passeio é a partir de R$ 110.

Outra maneira de se locomover entre Morro de São Paulo e Boipeba é com um transfer em Toyota 4×4. O carro sai da Segunda Praia de Morro de São Paulo às 8h, 12h e 17h rumo a Boipeba e o trajeto tem 1h30 de duração. A travessia do Rio do Inferno, que divide as duas ilhas ao final do percurso, é em barco e o custo já está incluso no valor da passagem. A travessia leva menos de 10 minutos. O trajeto de 4×4 entre Morro e Boipeba é R$ 105 por pessoa.

O trajeto por Morro de São Paulo vale também para os turistas que estão em Salvador. O percurso, nesse caso, começará com o acesso de Salvador a Morro de São Paulo. Veja como ir de Salvador a Morro de São Paulo.
Rio do Inferno

Como chegar a Boipeba de lancha rápida pelo porto de Valença, Torrinhas ou Graciosa (a partir de Salvador, Ilhéus e outras cidades da região)

Para chegar à Ilha de Boipeba em lancha rápida há três pontos diferentes de embarque: Valença, Torrinhas e Graciosa. Entre as três opções, a que oferece mais alternativas de horários para quem viaja por conta própria é a cidade de Valença. O caminho vale para todos os turistas, seja os que chegam por Salvador, Ilhéus ou outros destinos da Bahia. Lembrando que em Valença chegam voos da companhia aérea Azul.

A partir de Valença, a lancha rápida tem a melhor relação custo x benefício para quem vai à ilha. O transporte parte do porto de Valença e faz o trajeto em 1h10. O custo é de R$ 44 por pessoa/trecho e a passagem pode ser comprada na hora (em guichês no porto) ou pela site da Bahia Terra. Quem vai até Valença de carro poderá deixar o veículo em estacionamentos privativos próximos ao porto. O custo médio da diária é RS 25.

Horários da lancha rápida a partir de Valença

De segunda a sexta-feira, às 10h, 12h, 14h, 15h e 16h;
Sábado às 10h, 12h, 14h e 16h;
Domingo às 10h, 12h e 16h.

Lancha de Valença para Boipeba

Além do trajeto por Valença, é possível também fazer a rota para Boipeba pelos vilarejos de Torrinhas e Graciosa (localizado na BA-001, a 13,4 km de Valença rumo a Camamu). As duas opções são mais próximas de Boipeba e o trajeto é mais rápido, entretanto, a regularidade de lanchas é menor e há menos opções de transporte público até as duas regiões. Para quem vai pegar a lancha em Torrinhas há a opção do Expresso Boipeba, um ônibus que sai de Valença e leva até o Porto de Torrinhas. Tanto Torrinhas quanto Graciosa oferecem a possibilidade de fretamento de lancha até Boipeba, o que é uma boa opção para grupos grandes.

Quem sai de Salvador e quer fazer o trajeto por conta própria tem como melhor opção o ferry boat do Terminal Marítimo de São Joaquim até Itaparica, no Terminal de Bom Despacho. A travessia de ferry tem custo entre R$ 5 e R$ 6,70 por pessoa e entre R$ 45 e R$ 63 por veículo pequeno (para quem está de carro). A duração do trajeto é 1h. A partir de Itaparica, o percurso de ônibus até Valença tem 2h de duração, custo de R$ 20 por pessoa e é operado pela Viação Cidade Sol.
Encontro do mar com o Rio do Inferno na Praia da Boca da Barra

Há empresas que oferecem a rota de Itaparica a Boipeba com todos os transportes já inclusos. Os roteiros podem seguir por Valença, Torrinhas ou Graciosa. A vantagem é a praticidade de ter tudo já incluso no valor total e não precisar se preocupar com nenhum trajeto. Entre as empresas que oferecem o serviço completo de translado está a Bahia Terra. O custo é a partir de R$ 200 por pessoa. Vale também contratar transfers particulares que oferecem o serviço de no Terminal do Bom Despacho e levam até Valença para acesso à lancha rápida.

Para quem chega pelo Aeroporto de Ilhéus, a melhor opção é pegar um ônibus até Valença. O custo da viagem, operada pela empresa Águia Branca, é R$ 38 e a viagem tem, em média, 5h de duração. A combinação de ônibus com a lancha rápida saindo de Valença vale para outras cidades da região, como Itacaré e Barra Grande. No caso de Barra Grande, será necessário pegar uma lancha até o porto de Camamu e de lá seguir de ônibus até o porto de Valença, onde está a lancha para Boipeba.
Atracadouro de chegada em Velha Boipeba

Como chegar a Boipeba de avião (a partir de Salvador)

Fora os voos da Azul direto para Valença, chegar por Salvador é a maneira mais rápida e prática de ir a Boipeba. A partir da capital baiana há voos regulares de táxi aéreo três vezes por dia e a viagem tem apenas trinta minutos de duração. A comodidade, entretanto, tem um alto preço: o trecho de avião de Salvador para Boipeba tem custo médio de R$ 660 (com taxa de embarque).

Os voos saem de Salvador às 8h30, 12h30 e 15h30. Na alta temporada, há a possibilidade de voos extras. Esse voo é operado em táxi aéreo e o limite de bagagem é de 15 kg por passageiro. O pouso acontece no sul da Ilha de Tinharé, na Fazenda Pontal e de lá é feita uma travessia de 5 minutos em barco até Boipeba. Para a travessia é cobrado um valor extra de R$ 30.
Manguezal na Praia do Bainema
Como se locomover em Boipeba

Na Ilha de Boipeba não chegam automóveis ou ônibus. A melhor maneira de conhecer a ilha é encarando as lindas caminhadas à beira-mar. Os pés são mesmo o melhor meio de transporte em Boipeba, mas se o cansaço bater, vale investir em trajetos de trator (que funciona como jardineiras), quadritáxi e lancha. Em Boipeba você irá se livrar do trânsito e viver dias de total tranquilidade. Não há engarrafamentos, buzinas ou estacionamentos lotados. Aproveite a calmaria, deixe a preguiça de lado e bata muita perna nas areias de Boipeba.
Velha Boipeba

Boipeba a pé

Caminhar pela Ilha de Boipeba é muito seguro, mesmo até as praias mais distantes, como Moreré, Bainema e Ponta dos Castelhanos. O ideal, para percorrer longas distâncias, é fazer as caminhadas à beira-mar na maré baixa, quando a areia está mais firme. A maré baixa também ajuda na travessia de rios que estão pelo caminho. Na dúvida, consulte um morador de Boipeba para saber se a maré está boa para caminhar.

Outra opção é fazer os percursos pelas estradas que cortam o interior da ilha, mas será bem menos interessante que o trajeto à beira-mar. Para andar à noite pelo vilarejo de Velha Boipeba e Moreré, onde está grande parte das pousadas, tenha sempre uma lanterna à mão. Nem todas as ruas são iluminadas, especialmente as que levam às pousadas mais isoladas.
Trilha para a Praia do Tassimirim

Boipeba de trator ou quadritáxi

O meio de transporte oficial na Ilha de Boipeba são os tratores com jardineiras. O trajeto básico do trator parte do vilarejo de Velha Boipeba até Moreré. O custo, por pessoa, é R$ 10 (o trecho) e o horário de saída depende da lotação.

Quem preferir um meio de locomoção mais independente e prático pode optar pelos quadritáxis. Os quadriciclos são excelentes para andar por dentro da ilha, porém é proibido andar com um deles pela areia da praia. Fique atento! O valor da corrida varia com a distância e o serviço pode ser chamado por telefone ou contratado em Velha Boipeba e Moreré.
Trator usado como meio de transporte na Ilha de Boipeba

Boipeba de lancha e barco

Passeios de lancha em Boipeba são recomendados para quem deseja conhecer as praias e atrações mais distantes, como a Ponta dos Castelhanos, a Cova da Onça e as piscinas de Moreré. É possível também negociar uma diária para ficar com roteiro livre e conhecer as praias que desejar. Outra maneira de circular pelo mar são os barcos, utilizados por pescadores e por quem deseja conhecer as piscinas naturais. Os barcos têm custo mais baixo que a lancha, mas as rotas são mais restritas e não é um passeio oficial. A negociação do preço e itinerário deve ser feita diretamente com os barqueiros.
Passeio de lancha no roteiro Volta à Ilha
Pousadas em Boipeba

A Ilha de Boipeba tem clima rústico e intimista e as opções de hospedagemnão destoam da natureza do lugar. Na ilha não há grande redes hoteleiras ou resorts de luxo. O mais comum em Boipeba são as pousadas simples e charmosas, com o autêntico ar de tranquilidade baiana. Em Boipeba é possível reservar desde quartos simples em hostels até pousadas com maior requinte em meio à natureza. Os preços também agradam a todos os bolsos. Na Ilha de Boipeba há opções de pousadas à beira-mar, à beira-rio e também nas ruas internas. As duas principais regiões para hospedagem são o vilarejo da Velha Boipeba e Moreré.

Velha Boipeba tem a maior concentração de pousadas e casas para temporada da ilha, além de grande parte do comércio, restaurante e agências de turismo. Essa é a melhor opção para quem busca um pouco mais de movimento e não abre mão de infraestrutura. Quem quiser ainda mais tranquilidade poderá escolher entre as pousadas mais afastadas do centro, onde reinará o sossego, mas sem perder o fácil acesso a todos os serviços locais.

Para uma vista espetacular e maior isolamento, conheça a pousada O Céu de Boipeba. À beira do rio ou do mar, veja a Pousada Manga Rosa, a Pousada Horizonte Azul, a Pousada Pérola do Atlântico e a Pouso da Maré. No centro de Velha Boipeba, vale conferir a Pousada de Cris e Paulo, a Pousada Canoa Nativa, a Pousada Casa Verde, a Pousada Aldeia, a Pousada Fasani e a Pousada Alma Viva. Um pouquinho mais afastadas do centro, confira a Pousada Frau Spring e a Pousada de Cris e Paulo. Para economizar e fazer amigos, tente o Abaquar Hostel e a Family Guest House.

Veja as melhores opções de pousadas em Velha Boipeba.
Rua de Velha Boipeba

Quem estiver em Boipeba em busca de maior isolamento poderá escolher entre as pousadas da Vila de Moreré. A praia está a localizada a 4 km de Velha Boipeba e tem clima ainda mais pacato. No local não há muitas opções de hospedagem, restaurante e serviços, mas certamente será suficiente para quem busca se isolar do agito. Em Moreré, confira as elegantes O’Ba Pousada e Alizées Moreré, com preço intermediário, veja a Pousada o Rancho Alegre. Para valores mais acessíveis, confira a Pousada Brisa e Mar e a Pousada Boca da Mata. Um pouco mais afastada da praia, mas com linda vista para o mar e ambiente delicioso, veja a Eco Pousada Casa Bobô.

Veja as melhores opções de pousadas em Moreré.
Pousada à beira-mar na Praia de Tassimirim

Além de Velha Boipeba e Moreré, é possível encontrar algumas opções em outras praias da ilha. Nesses casos, é preciso ter em mente que a locomoção poderá ser bem mais complicada, especialmente se o desejo for por um passeio nos vilarejos à noite. Escolha pousadas isoladas apenas se isso for exatamente o que você busca. Vale conferir a Pousada Tassimirim e os Bangalôs de Boipeba, à beira da Praia do Tassimirim;
Dicas de Boipeba

Em Boipeba não há bancos ou caixas eletrônicos para sacar dinheiro. Leve o necessário para toda a viagem. Nem todos os restaurantes e agências de turismo aceitam cartão, principalmente os guias particulares e os quiosques de praia. Esteja sempre preparado;

O clima em Boipeba é bem simples e não será necessário roupas muito elaboradas para os dias na ilha. O ideal é levar muita roupa de banho, blusas com proteção contra raios solares, bonés, chapéus e tudo mais que posso ajudar a aplacar o calor. Para a noite, leve apenas roupas casuais e tenha em mãos ao menos um casaco leve para os dias que a temperatura cair ou o vento for mais forte;

Para andar em Boipeba, dê preferência a calçados sem salto, sandálias baixas e tênis. Em grande parte da ilha o calçamento será de areia ou tábuas de madeira. Andar descalço só é uma boa nas praias;
Praia da Cueira

Levar lanternas e carregadores externos de bateria para Boipeba é sempre uma boa pedida. Queda de luz é constante, especialmente quando há temporais. Lanternas também são importantes para quem está em pousadas mais afastadas. Nem sempre os caminhos são iluminados na ilha e andar à noite pode ser complicado;

Repelentes de insetos são muito bem-vindos em Boipeba, especialmente ao final da tarde. Não é grande a incidência de mosquitos, mas para os alérgicos é bom estar prevenido;

O sinal de telefonia não é constante em Boipeba, mas as pousadas costumam oferecer Wi-Fi. Se precisar resolver qualquer problema que dependa de internet, não deixe para a última hora. Entre as operadoras de telefonia móvel a que tem melhor sinal na ilha é a Vivo;
Praia do Bainema

Em Boipeba há supermercados, farmácia, posto médico, lojas de roupas e outros serviços básicos. Ainda que haja o suficiente para alguns dias de viagem, leve com você tudo o que for de uso constante e obrigatório, como medicamentos. Você poderá não encontrar na ilha para comprar;

Não esqueça a câmera fotográfica. Boipeba é desses lugares que merecem muitos retratos. Vale também levar uma boia para relaxar no mar e máscara de snorkel para aproveitar as piscinas naturais;

Consulte a tábua das marés sempre antes de fazer os passeios. As praias variam muito de visual a depender da maré. Para ver as piscinas naturais é importante fazer o passeio na maré baixa, preferencialmente nas luas nova e cheia. A maré baixa também é ideal para longas caminhadas à beira-mar.
Afinal, por que viajar para Boipeba?

O primeiro motivo é bem óbvio: Boipeba tem praias espetaculares! O mar na ilha é clarinho, com temperatura agradável, tons que variam entre azul e verde e, como se não bastasse, em Boipeba há deliciosas formações de piscinas naturais na maré baixa. As praias são quase sempre vazias (muitas vezes desertas), há bela vegetação de coqueiros e manguezais e, para dar um refresco no banho de mar, algumas praias ainda contam com rios límpidos de água doce. Um cenário realmente deslumbrante para quem é apaixonado por litoral.
Praia da Ponta dos Castelhanos

Como boa região de praia, Boipeba não decepciona na questão culinária e a ilha é farta em peixes, camarões, lagostas e frutos do mar fresquinhos. A qualidade da pesca se reflete diretamente na mesa. Em Boipeba come-se com fartura, sabor e bom preço. E ainda tem sempre aquele drink esperto, geladinho e com frutas da estação para tomar à beira-mar. Como não brindar?

Outro fator importante que deve ser levado em consideração na hora de escolher viajar para Boipeba é a calmaria da ilha. Diferente da vizinha Morro de São Paulo, Boipeba não é regada a festas e agito. Em Boipeba o que reina é o dia pacato e tranquilo, por isso mesmo é uma boa pedida para quem quer descansar. E como não há muito com o que se preocupar na ilha, o roteiro é ótimo para que deseja férias de verdade! Se estiver precisando de um intervalo na vida, Boipeba é o seu lugar!

CANOAGEM
Rio do Inferno / Boipeba Velha – Passeando de canoa pelo rio que separa Boipeba da ilha do Tinharé (Morro de São Paulo) e que leva você de Torrinhas a Boipeba.

Relaxe e aproveite. Livre do ruído das lanchas, você vai percorrer o Rio do Inferno como os jesuítas que fundaram a “Velha Boipeba”: de canoa. Silêncio em todo canto, o oceano por perto e o manguezal intocado em volta, repleto de “moradores” muito especiais: o Aratu, o caranguejo-Uçá, o Pitu, o Guaiamum, o Teredo. Conhece? Pois é, estas e outras espécies surgirão para você durante a aventura e revelarão também um pouco da história da “Velha Boipeba”.

Depois de percorrer o Rio do Inferno, chega a hora de visitar alguns pontos turísticos da Velha Boipeba: a Igreja do Divino Espírito Santo, construída em 1610; as casas onde se fabricam a farinha e o óleo do Dendê como nos velhos tempos; e o refúgio do “Otavinho”, colecionador de conchas, corais e outras preciosidades recolhidas nas praias da Ilha de Boipeba. No fim de tudo, vale subir o Morro Alto das Pombas para apreciar, lá de cima, a barra do Rio do Inferno e a Ilha de Tinharé.

Fique atento às surpresas que os manguezais reservam. Aves migratórias descansam e se reproduzem no mangue; macacos, guaxinins e morcegos se escondem entre as raízes retorcidas.

CAVALGADA
Que tal ir de Boipeba até Cova da Onça a cavalo? É só pegar a trilha de areia fofa, atravessar Monte Alegre, cruzar rios e matas e apreciar lá de cima, do alto da sela, toda a beleza da Mata Atlântica e das vistas panorâmicas da Ilha.

MERGULHO
Na Ponta dos Castelhanos o barco espanhol “Madre de Dios” descansa naufragado desde 1535 no fundo do mar. Uma curiosidade histórica: cento e dez homens estavam a bordo do barco comandado por Simão de Alcázoba quando ele afundou. Quase todos se salvaram, mas acabaram massacrados pelos índios Tupinambás.

PRAIAS DE BOIPEBA
Boca da Barra é o cartão de visitas, em Velha Boipeba. Marca o ponto onde o Rio do Inferno encontra o mar. A poucos metros, na outra margem, vê-se o coqueiral de Tinharé. Logo cedo, cedo mesmo, por volta das 4h, passam os primeiros barquinhos “pópópó”, as traineiras a motor.

Siga pela trilha do outeiro até Tassimirim. Depois, vem a Praia da Cueira. Logo no início, a pedida é parar na barraca do Guido, instalada à sombra de uma amendoeira. Ali, uma pausa para saborear lagostas ou um peixinho frito.

Adiante, é preciso atravessar o Rio do Oriti. Muita cautela, pois há trechos forrados por ostras que cortam o pé como uma afiada navalha. Nem pense em seguir descalço. À direita fica a aconchegante Praia do Amor e à esquerda, a trilha para Moreré, cruzando a Fazenda Boipeba. Moreré, assim como o atracadouro de Boca da Barra, é ponto de partida de barcos para as piscinas naturais, distantes cerca de um quilômetro da praia. A melhor hora para fazer o passeio é a da maré baixa. Não adianta teimar em ir em outro horário. Aproveite para almoçar em Moreré. A casquinha de siri do Cheiro de Mar é um sonho.

Para seguir até a Ponta dos Castelhanos, o melhor é ir de traineira. O nome vem do fato de, em 1535, uma nau espanhola, a “Madre de Dios”, ter afundado no local. Com o auxílio de profissionais, pode-se mergulhar e apreciar o que sobrou da embarcação.

Tem também as Piscinas de Moreré que ficam a cerca de um quilômetro da areia. O barco para dez pessoas cobra R$ 40 pelo passeio até as piscinas. É possível também seguir até Ponta dos Castelhanos e o preço sobe para R$ 70.

TRILHAS EM BOIPEBA
Moreré e Bainema – Caminhada pela praia com mergulho nas piscinas naturais de Moreré. Um aperitivo inesquecível para quem acaba de chegar. Ao longo da trilha, muitas surpresas. Longas praias semi-desertas repletas de conchas e coqueirais (Tassimirim e Cueira); enseadas minúsculas cobertas de pedras e banhadas por água cristalina; um rio no meio do caminho e, no fim de tudo, um pedaço da Mata Atlântica enfeitado pelo coqueiro gêmeo, de duas copas, da Praia de Bainema. Mágico!!!

A caminhada dura no máximo 2 horas, um presente para o corpo e para a alma terminando com um mergulho nas piscinas naturais de Moreré, no meio do mar, logo depois da arrebentação. Água fresca e transparente, peixes e corais de todas as cores – uma banheira natural sob medida para quem quer relaxar.

A volta para “casa” pode ser feita por traineira, sem pressa, com toda a segurança, no ritmo dos pescadores da região.

Ponta dos Castelhanos – Caminhada pelas trilhas, passando pelo povoado de Monte Alegre e admirando as paisagens mais deslumbrantes de Boipeba.

Um mergulho na mata e na cultura preservadas de Boipeba. O mais difícil da caminhada pelas trilhas de areia é saber para onde olhar. As vistas panorâmicas de toda a ilha se sucedem e a paisagem muda a cada curva. De um lado, as casas de pau-a-pique da aldeia de Monte Alegre; do outro, vistos de cima, o mar e a mata intocados da “Ilha do Tesouro”. No meio do caminho, um banquete: goiabas, mangas, cajás, tudo colhido no pé.

Quando você chegar na Praia de Moreré, existem traineiras a postos para levá-lo até o próximo cenário paradisíaco do dia: a Ponta dos Castelhanos, ao sul da ilha, uma praia totalmente selvagem, aonde você chega de barco depois de atravessar a barra do rio Catu e deslizar sobre uma galera espanhola afundada, a nau “Madre de Dios”, que naufragou em agosto de 1535.

O passeio termina no fim da tarde, ao pôr-do-sol, numa viagem de traineira até Boipeba, com direito a admirar os cenários paradisíacos da Barra de Catú, Bainema, Moreré, Cueira, Tassimirim…

Cova da Onça (São Sebastião) – Cruzando a Ilha de Boipeba pelas trilhas e voltando pelo rio entre manguezais.

São doze quilômetros de caminhada por trilhas deslumbrantes, banhadas por nascentes de água natural, em meio à mata e ao silêncio de uma das fatias mais preservadas de Mata Atlântica do Brasil. O passeio de um ponto ao outro da Ilha de Boipeba dura um pouco mais de três horas e – pode acreditar – passa rápido. Porque dá vontade de “ficar de molho” no Lago do Serrão Grande e de parar a cada cajueiro e a cada mangueira centenária para saborear frutos sempre maduros no verão.

As surpresas se sucedem até a chegada em São Sebastião (ou Cova da Onça), um povoado com cerca de 700 habitantes, muitos deles descendentes de gregos e holandeses. Depois do almoço, num restaurante tão simples quanto delicioso, chega a hora de voltar… e de experimentar novas surpresas. A viagem de volta pode ser feita de barco, pelas “trilhas” do rio dos Carvalhos, entre manguezais intocados e povoados que parecem ter parado no tempo: Barra do Carvalho, São Francisco, Barreira, Barroquinhas e… Boipeba.

Do alto — o Campo das Pombas é um dos melhores mirantes — vê-se o céu vermelho e o pé do horizonte emoldurado pela silhueta das árvores e dos coqueiros.

Ilha de Tinharé – Caminhando em direção a Morro de São Paulo e voltando de barco.

Chegou a hora de conhecer o outro lado da Ilha. Em vez de caminhar em direção a Moreré, basta pegar o sentido oposto. Você não vai se arrepender. São quase 3 horas de caminhada entre o mar e o rio, por trilhas semi-desertas, até chegar a Guarapuá, uma praia de “cartão-postal”, em forma de meia lua, com quase 1 quilômetro de largura, cercada por coqueiros centenários e protegida por recifes – uma baía ideal para mergulhos refrescantes e para muitas fotos.

Praia da Boca da Barra

Já esteve em Boipeba? Narra aqui as suas aventuras!

Share:

administrator

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *